O grão e a multidão

Manifestante fotografado no protesto pela redução das passagens no dia 11 de Junho de 2012.

Manifestante fotografado no protesto pela redução das passagens no dia 11 de Junho de 2012.

Muitos têm usado esta imagem como símbolo do tipo de militante que faria parte dos protestos que se seguem por estes dias. Pois bem, vou contar um história sobre militância, tipos de “militante” (depois vocês vão entender pq uso aspas aqui e manifestações horizontais (ou quase).
Era Janeiro de 2009. Seguia no Oriente Médio mais um massacre do Estado Judeu contra o povo palestino. A operação Chumbo Fundido já tinha matado milhares de palestinos, incluindo crianças e idosos indefesos.
Organizaram-se pelo mundo muitos protestos. Aqui no Brasil não podia ser diferente. Em São Paulo, onde geralmente as manifestações são maiores, foi convocada uma grande manifestação com concentração no MASP.
Durante os preparativos para a manifestação recebemos em um grupo de e-mails que eu participava a interceptação de conversas por e-mail de um grupo de neonazistas que estavam se preparando para o protestos. Eles discutiam quais tipos de material contra o povo judeu eles iriam distribuir.
Não sei o que foi feito com aquela interceptação (sim, não é só o PRISM que intercepta e-mails. Na verdade qualquer hacker com um pouquinho de conhecimento é capaz de fazer isso.). Minha intenção era denunciar aquilo à Polícia, mas não o fiz.
Pois bem, a manifestação reuniu milhares de pessoas que caminharam do MASP até o Parque do Ibirapuera numa linda manifestação. A tomada do monumento aos Bandeirantes e o tremular da bandeira palestina no ponto mais alto do Monumento foi uma coisa comovente.
No entanto, no meio daquela manifestação legítima haviam (ou não. não tenho como comprovar se eles realmente foram) neonazistas. Nem por isso a manifestação deixou de ser menos legítimas nem seus participantes necessariamente concordavam com o posicionamento daquela meia dúzia de criminosos que fazem apologia ao nazismo.
As manifestações pelo passe livre são legítimas sim, a maioria dos seus participantes são pacíficos, nem todo mundo que está lá concorda com depredação de sede de partidos políticos nem acha que o Brasil é um lixo. Existem vários grupos nessas manifestações, ainda mais quando são horizontais, sem comando único e definido como um sindicato ou um partido.
Por isso, antes de sair por ai falando que este militante da bandeira representa o movimento como um todo, pense bem.
Ah, e eu usei aspas quando escrevi militante lá no começo pois acho que neonazista é criminoso e não militante.