Recrudescimento conta manifestantes

As notícias que chegam me espantam: seis administradores da página Black Bloc RJ foram presos e quatro deles encaminhados para o presídio de Bangu.

Não entendi se as prisões têm relação com a administração da página ou se eles estão sendo acusados de outros crimes. O fato é que, ao que parece, o fato de administrarem a página na Rede social foi usado para chegarem até eles. Isso significa que existe um trabalho das autoridades, pelo menos no Rio, de investigação das manifestações via informações de rede.

Por mais que eu ache as práticas Black Bloc equivocadas, não dá para compactuar com a criminalização do direito de manifestação e, se a Rede esta sendo usada para ajudar nesse processo de criminalização de movimentos é bom ficar alerta.

Com base em que se faz a autorização para a varredura de dados de rede e a construção de provas baseadas neles contra manifestantes? Se faz isso examinando amplamente os dados de vários cidadãos e minerando o que interessa – quem é administrador de determinada página deve ser investigado, por exemplo – ou já existiam indícios de que esses cidadãos presos haviam supostamente cometido algum crime e então se pediu os seus dados?

Enfim, várias perguntas ficam no ar diante dos poucos elementos que tenho sobre o tema. Mas, acho grave o que está acontecendo, a criminalização dos manifestantes e o uso das informações de cidadãos conectados para realização de tal criminalização.

Existem outras medidas tomadas nos últimos dias que aumentam a preocupação com a criminalização do direito de manifestação.

Fico com a adaptação de um famoso poema publicada na página Anonymous Rio:

“Primeiro levaram os Black Blocs,
Mas não me importei com isso.
Eu não era Black Bloc.
Em seguida levaram alguns Anonymous, Mas não me importei com isso
Eu também não me intitulava como Anonymous.

Depois prenderam os militantes de grupos sociais,
Mas não me importei com isso porque não me associei a ninguém.

Depois agarraram manifestantes comuns,Mas como não saí as ruas também não me importei.

Agora estão me levando, Mas já é tarde.
Como eu não me importei com ninguém,
Ninguém se importa comigo.”